DUCATI REVELA SUPERLEGGERA V4; COMPRADORES PODEM PILOTAR UMA MOTOGP

DUCATI REVELA SUPERLEGGERA V4; COMPRADORES PODEM PILOTAR UMA MOTOGP

Compradores da edição especial da Panigale V4 podem adquirir pacote adicional para pilotar Desmosedici GP20 ou Panigale V4 R do Mundial de Superbike

Fim do mistério: nesta quinta-feira (6), a Ducati revelou finalmente a edição especial da Panigale V4, que chega com o nome Superleggera V4. A moto, que já havia sido alvo de vazamentos, foi apresentada e tudo o que se falava antes se confirma agora.

A começar pelo peso seco de 152 quilos quando equipada com o kit de preparação para as pistas, que também eleva a potência máxima para 237 cv a 15.500 giros com o sistema de escape racing da Akrapovic - o torque fica em 12 kgf.m a 11.750 rotações por minuto.

DUCATI? AS MELHORES ESTÃO EM NOSSOS CLASSIFICADOS!

Sem o kit de corrida, a Superleggera V4 tem peso seco de 159 quilos e o V4 de 998 cm³ de cilindrada alcança 227 cv de potência máxima a 15.250 giros e torque máximo de 11,8 kgf.m nos mesmos 11.750 giros de quando está equipada com o kit.

A leveza se explica pelo uso maciço de fibra de carbono: chassi, carenagem, rodas e as asas duplas que vieram da Desmosedici GP16, moto utilizada pela Ducati na temporada 2016 da MotoGP. Os grafismos, como a imagem da moto vazada há algumas semanas mostrava, é inspirado na Desmosedici GP19, moto de Borgo Panigale na temporada passada da classe principal do Mundial de Motovelocidade.


Foto: Divulgação

O conjunto de freios fica a cargo da Brembo, com dois discos de 330 mm mordidos por pinças Stylema na dianteira, enquanto na traseira há um disco de 245 mm - o sistema ABS, atuante em curvas, é da versão EVO.

A suspensão dianteira conta com garfo invertido Öhlins totalmente ajustável, enquanto a traseira é equipada com amortecedor totalmente ajustável, também da Öhlins. A balança monobraço é, como os rumores diziam, feita em fibra de carbono.

O pacote eletrônico é completo: quickshifter bidirecional, modos de pilotagem, modos de potência, controle de tração atuante em curvas, controle de slide, antiwheelie, controle de freio motor, controle de largada e limitador de velocidade em pitlane.

A fabricante não divulgou o preço da Superleggera V4, que terá apenas 500 unidades. No e-mail que deu início aos vazamentos de informações sobre o modelo, havia a indicação de que a série especial da Panigale V4 custaria US$ 100.000 nos Estados Unidos, o equivalente a R$ 427.070 em conversão direta.

Atualização: a moto já pode ser reservada nas concessionárias da marca no Brasil. O preço da Superleggera V4 é R$ 700.000 e, para reservar, o interessado deve desembolsar um sinal de R$ 100.000.


Foto: Divulgação

Bônus: pilotar uma MotoGP ou uma Panigale V4 do Mundial de Superbike

30 dos 500 proprietários da Superleggera V4 podem ter uma oportunidade única: a experiência de pilotar um protótipo da MotoGP. A Ducati oferecerá a oportunidade de pilotar a moto desta temporada, a Desmosedici GP20, a 30 interessados que pagarem 20% do valor da moto até 30 de junho deste ano, mais € 4.000 (R$ 18.750, aproximadamente).

Se o proprietário não conseguir entrar no grupo dos 30 que vão assumir o guidão da Desmosedici GP20 e mesmo assim pagar os 20% do valor da Superleggera V4 até a mesma data, a Ducati oferece outra opção: a de pilotar a Panigale V4 R que será utilizada na temporada 2020 do Mundial de Superbike.

Os interessados deverão se submeter aos requisitos físicos estabelecidos pela Ducati, apresentando atestados que comprovem boa forma física. Além disso, antes de entrar na pista, os motociclistas deverão ser aprovados em um exame médico que será realizado no local.

O circuito escolhido pela Ducati é Mugello, que sedia o GP da Itália de MotoGP. Para pilotar a Desmosedici GP20, duas datas: 9 e 28 de julho. Já para a Panigale V4 R do Mundial de Superbike, mais datas: 10, 29 e 30 de julho, além de 18 e 19 de agosto.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br